Causas da insônia são variadas

Fatores que dificultam o sono vão desde o estresse e preocupações diversas, até a ingestão – à noite – de certos alimentos a base de cafeína

Reportagem: Alanis Brito, 4º ano matutino
Edição: Marina Gallego Gallo, 4º ano matutino

MATalanisfoto1
Causas da insônia são inúmeras, desde alimentos até atividades que aconteceram ao decorrer do dia. Fotografia: Reprodução UOL Notícias.

23h. Ao deitar, você fecha os olhos com um único objetivo: ter uma boa noite de sono. Muda de posição na cama. Cobre seu pé, que acabou sendo desnudado pelos pensamentos que permeiam o seu cérebro. O sono não vem. 3h15. Do nada seu lábio, timidamente, contrai um riso no canto da boca. Aquele vídeo engraçado que você viu há três dia atrás domina sua mente. Um desconforto obriga a ir ao banheiro. 4h. O cansaço envolve de tal forma que a única coisa que lhe resta fazer é dormir. A música do Strokes não sai da cabeça. Amanhã: trabalho, entrega de relatório, reunião e mais trabalho. Talvez os raios solares já estejam surgindo no horizonte. É hora de acordar.

Uma descrição de mais uma noite mal dormida. A dificuldade para adormecer ou manter o sono – ou ambas – se deve a inúmeros fatores, incluindo estresse, preocupações ou a ingestão – à noite – de certos alimentos. É cada vez mais comum que a sociedade contemporânea urbana conviva com esse mal: a insônia.

Todos temos um relógio biológico interno que diz quando estamos cansados. Ele ajuda a sincronizar milhares de células em nosso corpo em um ciclo de 24 horas chamado de ritmo circadiano. O principal sincronizador para o nosso relógio biológico é a luz e nossos olhos reagem à ela ou ao escuro mesmo quando as pálpebras estão fechadas. Portanto, se dormimos menos durante a noite, seja por ir para a cama tarde ou acordar cedo, é mais improvável que tenhamos o tempo de sono profundo necessário para uma boa noite de sono.

MATAlanisfoto2
Todo ser vivo possui um ciclo de descanso. Entre os animais, esse ciclo é chamado de circadiano (cerca de um dia) – oscila entre 23 e 26 horas. Fotografia: Alanis Brito.

Ruídos podem perturbar durante o sono e isso se deve ao fato de que o cérebro continua ativo mesmo quando vamos adormecer. À medida que entramos em um sono leve, uma área do cérebro chamada hipotálamo começa a bloquear o fluxo de informações de nossos sentidos. Depois de cerca de meia hora de sono leve, a maioria das pessoas entra em um estágio profundo chamado de sono de ondas lentas. Nesta fase, o cérebro fica menos sensível e torna-se mais difícil de ser acordado.

Mente ocupada e certos alimentos podem ser alguns dos obstáculos para se chegar ao conforto na hora de dormir. Na cama, a mente fica livre para passear e divagar em vários assuntos. É difícil manter a noção do tempo quando você está deitado no escuro tentando dormir. Muitas pessoas, às vezes, adormecem e acordam novamente e acham que ficaram o tempo todo acordadas. Essa ocorrência leva ao sono fragmentado, com muito menos tempo gasto nos importantes estágios de sono profundo.

Caso ainda não consiga adormecer, lembre-se das possíveis consequências de uma noite mal dormida, como resfriados e gripes, aumento de peso, sintomas de depressão e uma possível redução de fertilidade. Então relaxe, pense em nada, sinta-se leve e tenha uma boa noite.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s