Atividade física é fator importante para vida saudável na terceira idade

Texto, fotos e vídeo: Amanda Braz

 

Que a atividade física é uma das aliadas de um estilo de vida saudável, não é novidade. Os benefícios dos exercícios físicos vão além da estética: eles geram bem-estar, aquela sensação boa, causada pela endorfina – substância natural liberada pelo cérebro. Com foco na saúde, fazer atividades físicas fortalece o corpo, gerando mais resistência e diminuindo o risco de doenças como diabete e osteoporose, que segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) atingem 20% da população idosa do país. Mesmo sabendo dos benefícios e da necessidade de uma vida ativa, ainda é alto o número de pessoas que não realizam nenhuma atividade física ou se movimentam muito pouco: são os chamados sedentários. Ainda segundo a OMS, quase metade dos brasileiros já se enquadra no perfil do sedentarismo.

Falta de tempo, indisposição ou idade não são desculpas. Há uma forma de se exercitar em qualquer lugar e sem gastar nada, além de calorias, é claro. Prova disso é Maria Miato Outi, 75 anos, aluna dedicada das aulas de alongamento. Há 13 anos, começou a praticar caminhadas, exercício que hoje é indispensável para seu bem-estar. “Comecei a caminhar e, após o exercício meu corpo relaxava. Hoje, se não me movimentar sei que vou sentir dores”, aponta. Outro exemplo de vida ativa na terceira idade é Genira Domingues de Souza que, à beira de completar 88 anos, cumpre uma rotina de exercícios diários e exibe uma aparência anos mais jovem. Para ela a regra é não ficar parada. Segunda, terça, quinta e sexta-feira, ela realiza atividades na academia e na quarta-feira vai para o grupo de alongamento. Sábado e domingo completa três séries de 20 abdominais.

 

 

O educador físico Rafael Ventura explica que os exercícios são essenciais na prevenção de doenças crônicas, evitando problemas de pressão arterial, diabete e colesterol. Ele aponta que as atividades diárias são mais fáceis para os idosos que realizam exercícios. “Nota-se uma melhora nas capacidades funcionais, como pegar um objeto do chão, subir ou descer uma escada”. Outra vantagem é a melhora no condicionamento físico, gerando autonomia na realização de várias atividades e proporcionando até aumento de autoestima. O educador explica que a falta de atividades físicas afeta a mobilidade dos idosos. “Geralmente, perto dos 60 anos, os idosos tendem a sofrer quedas constantes, acidentes que poderiam ser evitados ou diminuídos com os exercícios”, explica. Ele também orienta a procura por um médico antes de dar início às atividades físicas.

 

Foto 1

Maria Miato e Paulo, amigo do grupo de alongamento

 

Foto 2

Genira Domingues e amiga do grupo de alongamento para idosos

 

LEIA MAIS

Ansiedade: conheça as causas, os sintomas e as formas de controlá-la

Autismo levanta debate sobre tratamento, diagnóstico e inclusão

Mais de 50% dos transplantados do coração morrem 2 anos após cirurgia

Método Pilates é opção para tratar problemas posturais

Projeto usa caixões para alertar sobre o perigo da dengue

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s