HU de Londrina oferece cuidado especializado para prematuros

Texto e áudios: Isabella Cavalheiro

 

O Hospital Universitário (HU) de Londrina é centro de referência para as gestantes de toda a região e realiza um trabalho completo nos cuidados com bebês prematuros, que inclui o acompanhamento da criança por uma equipe multidisciplinar após o longo período de internação.

O Brasil tem o dobro de partos prematuros comparado com países da Europa, o que faz do assunto um tema importante a ser debatido. “Muitas pessoas acham que, devido à tecnologia atual, a gravidade de partos prematuros diminuiu, mas o nascimento antecipado pode acarretar muitas sequelas para vida toda”, afirma a pediatra coordenadora da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Neonatal do HU, Lígia Lopes Ferrari.

A médica neonatologista Fernanda Pegoraro explica o que faz do HU uma referência nessa área. “Uma equipe multidisciplinar com médicos, enfermeiros e fisioterapeutas possibilita o melhor desenvolvimento do bebê durante e após a internação, o que diminui consideravelmente a chance de sequelas.” Atualmente a unidade conta com dez leitos de internação, tornando o HU um dos hospitais com maior capacidade de atendimento a prematuros em Londrina.

A chance de sobreviver atualmente se dá a partir de 22 semanas e só é possível devido a constante atualização dos estudos na área e a evolução das tecnologias. “O HU procura se especializar cada vez mais nos estudos de neonatologia. Desde 2009, participamos de uma rede internacional de estudos, a Vermont Network, que ajuda a comparar os dados do Brasil e do mundo”, comenta Ferrari.

Das causas às complicações 

A pediatra também cita que são muitos os motivos que levam a um parto prematuro: a não realização do pré-natal ou o pré-natal tardio, problemas de saúde da mãe, gestação de gêmeos e a pouca ou avançada idade da mãe. Os usos de álcool, drogas e cigarro também são fatores que podem antecipar o parto e ocasionar os chamados partos prematuros tardios, em que o nascimento acontece entre 34 e 36 semanas. Embora esse tempo se aproxime mais do tempo natural de nascimento – de 37 a 42 semanas – o bebê também corre riscos.

Jackeline Leoncio é enfermeira-chefe da UTI Neonatal do HU e destaca algumas técnicas que ajudam no desenvolvimento dos bebês, como é o caso do tradicional método canguru, usado em muitas unidades neonatais.

 

 

Realizar o pré-natal é o caminho para evitar a prematuridade e suas consequências. Fazer todo o acompanhamento é importante para a saúde e bem-estar da mãe e do bebê.

 

 

LEIA MAIS

Autismo levanta debate sobre tratamento, diagnóstico e inclusão

Mais de 50% dos transplantados do coração morrem 2 anos após cirurgia

Método Pilates é opção para tratar problemas posturais

Praticantes de meditação buscam melhorar atenção e equilíbrio mental

Precisamos falar de masturbação com nossos filhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s