Educação e cidadania: conheça o Centro Social Dom Bosco

Texto, fotos, áudios e vídeo: César Henrique

 

Quando questionada sobre como resumiria o Centro Social Dom Bosco em uma frase, irmã Mary é categórica: “Tudo pelo amor e nada pela força”. Ela, junto com as freiras Évelin e Bruna, coordena o centro há seis anos. O espaço, doado pela prefeitura de Cambé (PR) e mantido pela Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora no bairro Campos Verdes, oferece cursos para crianças e jovens, como alfabetização, espanhol, reforço escolar, judô e balé, sendo estes dois últimos destaques do projeto.

Regina, moradora do bairro, é uma das voluntárias do projeto e, junto com as freiras, prepara as missas e ministrações religiosas realizadas no centro. A missa dos sábados, por exemplo, fica a cargo da moradora, que se dedica quase em tempo integral ao projeto.  Ela diz que o centro ajudou a melhorar a vida das pessoas, inclusive de famílias que não tinham como sobreviver.

 

 

Foto 01 - Ballet

As regras do centro são importantes para a formação dos alunos

 

Irmã Évelin está no projeto desde o início. Ela diz que o poder público municipal não ajuda e a igreja, por meio da Pastoral da Partilha (setor ligado à paróquia e dedicado a cuidar de obras para pessoas carentes), mantém o centro ativo. A renda é complementada com bazar de roupas usadas uma vez ao mês e, além dos cursos, há uma horta mantida pelos alunos para ajudar no oferecimento das refeições. A freira ressalta que os obstáculos foram vencidos com muita perseverança.

 

 

Foto 03 - Horta

A horta é mantida pelos alunos do centro e moradores do bairro

 

Um dos alunos mais antigos do centro, Patrick não falta às aulas e diz que fazer parte do projeto o tornou mais obediente. “Faço ginástica, espanhol e já fiz reforço escolar, inglês e judô. O projeto me ajudou a ter mais disciplina, e isso é bom.” O centro vive das ações dos voluntários que desenvolvem as atividades e a irmã Évelin destaca a importância do voluntariado e acrescenta que “eles merecem reconhecimento”.

 

 

Foto 02 - Freiras

Da esquerda para direita, Bruna, Évelin e Mary

 

Gabriel Facin é um dos voluntários do Dom Bosco. Ele já deu aulas de reforço escolar e atualmente ministra aulas de espanhol. Para ele, ser voluntário é uma forma de compartilhar o que tem como privilégio.  “A vida desses jovens é problemática e só de imaginar que somos capazes de mudar pela educação, isso me motiva.”

 

 

Para irmã Mary, o projeto tem um caráter de cidadania para o bairro e para as famílias e, dessa forma, valoriza a comunidade. “Muitas crianças ficavam na rua sem nada para fazer, então elas entram aqui e se sentem valorizadas, têm orgulho. Hoje em dia nós atendemos 400 crianças por semana, então elas ficam muito felizes, afinal, mudou a vida delas. Ver um sorriso na cara das crianças nos alegra muito.”

 

Foto 04 - Dando aula

As crianças assistem à aula de espanhol aos sábados

 

LEIA MAIS

Discussão sobre gênero cria polêmica dentro e fora da escola

Educação especial atende alunos em vários ambientes – até em hospitais

Projeto de contação de histórias faz crianças retomarem gosto pela leitura

Projeto debate obras literárias do vestibular da UEL

Um é bravo, eles são Bravi – uma academia orquestral

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s