Usuários da linha 904 reclamam das mudanças do trajeto

Texto, áudios e vídeo: Junior Azevedo

 

FOTO 1

Mudanças da linha 904 que ocorreram no início do ano não agradaram os usuários (Crédito: Junior Azevedo)

 

A linha de ônibus 904 da Transportes Coletivos Grande Londrina (TCGL) passou por mudanças no seu trajeto em fevereiro deste ano. Nove meses se passaram e os usuários ainda não acostumaram com o longo trajeto percorrido pela nova linha. Segundo os usuários, a incorporação da extinta linha 933 (Terminal Vivi/UEL) na linha 904 é o principal problema do trajeto. Outra reclamação é a superlotação nos horários de pico, entre 6h30 e 8h e entre 17h e 19h.

De acordo com a Companhia Municipal de Transporte e Urbanização (CMTU), o ônibus passa por mais de 15 bairros e quatro terminais: Vivi Xavier, Catuaí, Oeste e Acapulco. A quilometragem percorrida é a mesma entre Londrina e Arapongas. Segundo estimativa do CMTU, a distância de 35 quilômetros é a mais longa do transporte coletivo do município. Em apenas uma viagem é possível percorrer três regiões da cidade, iniciando na zona norte, no terminal do Vivi Xavier, e encerrando no extremo sul, no conjunto São Lourenço.

Com a mudança, a linha ganhou mais carros durante os horários de picos, com saídas de veículos de 20 em 20 minutos pela manhã e de 15 em 15 minutos à tarde. Mesmo com o acréscimo no número de carros, o problema da superlotação não foi solucionado.

 

 

Para o gerente de transportes da CMTU, Wilson de Jesus, a superlotação não é um problema exclusivo da linha 904. Ele destaca que o problema já foi detectado e será resolvido aos poucos, porém, não depende apenas da CMTU. “É devido aos atrasos dos motoristas que temos esse problema da lotação. Estamos com um problema de execução e as concessionárias também precisam nos ajudar para solucionarmos esse problema o quanto antes”, explica Wilson.

 

 

Marlene Silva, moradora do Jardim Acapulco, relata que, após a mudança, ir trabalhar virou uma luta diária. “Mal dá tempo do passageiro descer no terminal do Acapulco e o ônibus já foi embora. Os motoristas têm um horário apertado para cumprir. Algumas pessoas desistem de embarcar por falta de espaço. Quinze minutos depois, chega outro ônibus lotado também, está insuportável passar por isso, e o prefeito não faz nada”, reclama a moradora.

Outra dura rotina é para os alunos da Universidade Estadual de Londrina (UEL) que enfrentam esse trajeto. É o caso de Cláudia Faro, aluna de artes cênicas, curso no qual a aula começa às 7h30. Para ela, a extinta linha 933 era a ideal para chegar no horário. Agora, sem ela, a usuária tem que enfrentar o lotado 904. “Todos os dias nesse horário é uma luta, os usuários reclamam o tempo todo com o motorista e os cobradores. Não consigo entender o motivo dessa mudança do trajeto”, conta Cláudia.

 

 

FOTO 3

Nova linha do 904 virou meme devido ao longo trajeto (Crédito: Divulgação/Facebook)

 

LEIA MAIS

A dificuldade de locomoção dos estudantes da UEL

Como o Uber afetou o transporte público de Londrina

Londrina é ponto de encontro para busólogos, os apaixonados por ônibus

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s