Defasagem do ensino leva o brasileiro a ler menos, aponta professora

Texto, fotos e áudios: Mariana Sanches

 

De acordo com dados da quarta edição da pesquisa Retratos da Literatura no Brasil, de 2015, feita pelo Ibope Inteligência, houve um aumento de 6% na quantidade de leitores entre 2011 e 2015, passando para 56% da população. Porém, esse índice também mostra que o brasileiro lê apenas 4,96 livros por ano.

Professora de letras clássicas vernáculas na UEL (Universidade Estadual de Londrina), Sheila Oliveira Lima tem mestrado em teoria literária e desenvolve pesquisas sobre leitura e formação de leitores. De acordo com ela, um dos motivos que explica o número ainda reduzido de leitores se comparado ao de outros países é a chegada tardia da literatura no Brasil. Ela lembra que apenas com a vinda da família real, em 1808, é que teve início a imprensa. “Até então era proibido imprimir livros aqui. Tudo o que havia de material para leitura vinha da Europa. Mesmo as classes mais privilegiadas tinham um acesso mais restrito à leitura. Começamos em desvantagem e vivemos os resquícios até hoje.”

 

LIVROS 1

Para a professora, o brasileiro não tem o hábito de frequentar bibliotecas, pois não foi assim ensinado

 

 

Sheila também aponta para a defasagem do ensino da literatura nas escolas, o alto preço dos livros e uma falta de preparo dos professores. “Se o estudante não vê que há algo importante para ele em um livro, ele não vai acessar a literatura. Os 44% de não leitores são resultado de um trabalho malconduzido em relação à formação do leitor. Alguns motivos que levam a esta má condução são os baixos salários dos professores, a sobrecarga de trabalho e os preços dos livros, que geralmente são caros.”

 

 

Com mais de 63 mil inscritos em seu canal no Youtube, a londrinense Beatriz Paludetto encontrou na plataforma uma maneira de compartilhar o seu amor pela literatura. Segundo ela, o canal começou a crescer este ano, quando as empresas passaram a olhar para a internet e ver ali um enorme poder de influência. Porém, de acordo com Beatriz, este processo no campo literário é um pouco mais lento e demanda tempo de produção e investimento em equipamentos. “O booktube é algo que a sociedade está começando a enxergar, porém ainda precisa de muito mais.”

 

LIVROS 2

Em seu canal, Beatriz faz resenhas e recomendações de leituras

 

Para a jovem, o Brasil nunca foi um país culturalmente leitor. “A leitura é uma coisa que se habitua, um meio de comunicação que exige mais concentração. Nós nunca fomos ensinados dessa forma, nem na escola nem dentro de casa, tanto por meios econômicos quanto culturais.”

 

LEIA MAIS

Projeto de contação de histórias faz crianças retomarem gosto pela leitura

O último haicaísta de Assaí, no norte do Paraná

Conheça os restauradores de livros da Biblioteca Central da UEL

Estudantes cegos se esforçam para acompanhar as aulas usando o braile

Projeto debate obras literárias do vestibular da UEL

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s