Calvície: o problema genético que afeta os homens

Texto e áudios: Junior Azevedo

 

FOTO 1

Segundo dados, a calvície atinge 25% dos jovens brasileiros de 20 a 25 anos (Crédito: Agência Brasil)

 

A calvície é um problema que afeta especialmente os homens, uma vez que a testosterona, hormônio sexual masculino, é o maior responsável pela queda de cabelo. Segundo especialistas, ao atingir a raiz do cabelo, o hormônio masculino sofre ação de uma enzima, resultando no surgimento de substâncias que vão reduzir a velocidade da multiplicação de células, fato que deixa o cabelo mais fino e o seu crescimento mais demorado.

Na maioria dos casos, a principal causa da calvície são as questões genéticas ou androgenéticas, com casos herdados pelos pais ou por parentes próximos. Segundo a Sociedade Brasileira do Cabelo, cerca de 42 milhões de brasileiros sofrem de calvície, sendo 50% homens e 25% mulheres. Dentre estes dados, o que mais chama atenção é a porcentagem de homens entre 20 e 25 anos que sofrem com o problema, que é de aproximadamente 25%, afetando a autoestima dos jovens.

O jornalista Thiago Ienco, 25, é um dos afetados pela calvície. Ele lembra que descobriu o problema seis anos atrás durante o banho. “Toda vez que estava no banho, reparava que o meu cabelo começava a cair, principalmente quando usava shampoo, e isso me deixou assustado e com medo de perder o meu cabelo”, comenta Ienco.

Mesmo tendo conhecimento do problema, o jornalista afirma que não procurou um especialista naquela época. No entanto, nos últimos meses, Ienco afirma que o problema começou incomodá-lo. “Nunca fui atrás de tratar do problema, mas, nos últimos meses a minha namorada me alertou a procurar um médico, até porque, querendo ou não, o problema afeta esteticamente, e isso coincidiu com esta entrevista. Acho que é um bom momento para procurar um especialista”, conta Ienco.

Guilherme Bernardi, 22, descobriu a calvície no início de 2018 durante as férias. O estudante de jornalismo lembra que foi alertado por um cabeleireiro da cidade e foi atrás do especialista.

 

 

Questionado sobre afetar a autoestima, Bernardi afirma que é tranquilo quanto a isto. “Não acho que afeta, é que a calvície parece uma doença que atinge as pessoas mais velhas, mas não é bem assim. Levo sempre na brincadeira a situação”, comenta Bernardi.

 

 

O dermatologista Rubens Pontello Junior afirma que a calvície vem atingindo cada vez mais os jovens entre 20 e 25 anos, e muitos levam o problema como um trauma. “A maioria dos pacientes tem esta faixa etária, e eles ficam apavorados com medo de ficarem carecas. Busco sempre alertar que existe o tratamento e que é preciso ter paciência”, explica o dermatologista.

Para o especialista existem duas formas de tratamento. A primeira é o uso do medicamento Finasterida, que bloqueia a enzima que causa a perda do cabelo. E o segundo e mais comum, de acordo com ele, é a infiltração de medicamentos no couro cabeludo, com a formulação composta chamada Minoxidil. “Existe tratamento, é só o afetado buscar o especialista”, comenta.

 

LEIA MAIS

20 minutos de exercícios podem ajudar a prevenir doenças

Ansiedade: conheça as causas, os sintomas e as formas de controlá-la

Associação busca melhorias para familiares com necessidades especiais

Combate à cárie se faz com escovação regular e alimentação sem muito açúcar

Cuidar da saúde da pele é também cuidar da saúde mental

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s