Londrina será palco de encontro astronômico

Texto e áudios: Wellington Santana

 

Em junho, Londrina será sede do 18° Encontro Paranaense de Astronomia (Epast), coordenado pelo Grupo de Estudos e Divulgação de Astronomia de Londrina (Gedal) e pelo Museu de Ciência e Tecnologia da Universidade Estadual de Londrina (MCTL-UEL). Segundo o coordenador do Gedal, Miguel Fernando Moreno, este é o terceiro ano que Londrina sediará o evento.

O encontro é focado na divulgação da astronomia e tem como público-alvo pesquisadores, astrônomos amadores e curiosos. As atividades serão realizadas no campus da UEL, na praça Nishinomiya e no espaço Jabuti, que conta com planetário e observatório. Para o coordenador, o evento reunirá muito mais pessoas que apenas os inscritos, pois se trata de um evento que ocorre em locais abertos da cidade. “O encontro paranaense tem previsão de 380 adultos e 50 crianças inscritas, sem contar que vai ter observação na praça, festival de foguetes na UEL, que pretende reunir cerca de 2.000 pessoas, então será um evento para chamar bastante atenção.”

O encontro contará com grandes pesquisadores da astronomia, como Roberto de Paulo, fundador da Bandeirante Foguetes, maior empresa de foguetes didáticos do Brasil, e o astrobiólogo do Centro de Pesquisas Ames, da Nasa, Ivan Gláucio Paulino Lima. A programação irá contar com palestras, atividades práticas e observação do céu, como conta o Moreno.

 

 

Para a diretora do espaço Jabuti, Adriana Kerche, o evento “faz parte da missão institucional do Jabuti, que é divulgar ciência e cultura, por isso as expectativas são positivas, pois conhecemos o trabalho incansável dos organizadores em difundir a astronomia em nossa região”.  O instituto realizará a observação astronômica noturna, o lançamento de foguetes noturnos e a sessão no planetário digital.

O evento é realizado exatamente no momento em que o Gedal comemora 20 anos de atividades. O Epast surgiu de uma iniciativa do próprio grupo, como relembra Moreno.

 

 

O grupo realizou várias conquistas durante os anos. Em 2007, eles firmaram uma parceria com o Museu de Ciências da UEL e criaram o projeto “Na Rua de Olho pra Lua”, que é a observação dos astros na praça Nishinomiya. Hoje, o evento reúne entre 600 e 800 pessoas por edição e o grupo se tornou uma referência em questões astronômicas na cidade. Um dos marcos que o coordenador do grupo relembra foi a observação do eclipse da Lua no ano passado. “O congestionamento na praça começou no início da avenida Santos Dumont. Virou um caos o trânsito.”

 

 

LEIA MAIS

A educação está na mira do governo Bolsonaro

Espaço de educação e cultura persiste na periferia de Londrina

Núcleo Ás de Paus realiza turnê no interior mineiro

Oficina de Choro “abre a roda” para novos músicos

Projeto londrinense é referência na formação de atletas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s